Início » Colunas » Coluna do Verchai » O Bayern de Munique de Julian Nagelsmann

O Bayern de Munique de Julian Nagelsmann

Fernando Verchai

Técnico de apenas 34 anos é trunfo para Gigante da Baviera manter hegemonia na Alemanha

Lewandowski, após marcar contra o Al Ahly no Mundial de Clubes 2020

Atacante polonês Robert Lewandowski, estrela do alemão Bayern de Munique (Divulgação: Bayern)

Depois de uma temporada frustrante para os padrões do Bayern de Munique, na qual venceu “apenas” a Bundesliga (além dos títulos de início de temporada: da Supercopa da Alemanha e da Supercopa Europeia), o clube alemão com o maior número de títulos nacionais e internacionais passou por uma reestruturação para a atual temporada. O experiente técnico Hans-Dieter Flick, que conseguiu conquistar a chamada tríplice coroa europeia (Bundesliga, Copa da Alemanha e Liga dos Campeões) e completou a sua primeira temporada (2019/20) a frente do Bayern com o título do Mundial de Clubes, agora está no comando da Seleção Alemã. Para o seu lugar, o clube da região da Baviera contratou Julian Nagelsmann, um jovem alemão de 34 anos que teve de deixar os gramados ainda aos 20 anos em razão de seguidas lesões no joelho (de acordo com informações do site Wikipédia), mas que, também precocemente, se lançou como um grande técnico da Alemanha. Desde logo Nagelsmann começou sua carreira como treinador, auxiliando Thomas Tuchel no início da carreira do atual técnico do Chelsea quando este ainda treinava a equipe B do Augsburg. Em fevereiro de 2016, aos 28 anos, Julian Nagelsmann assumiu o comando do Hoffenheim depois de passagens pelo clube como auxiliar e treinando as categorias de base, substituindo o holandês Huub Stevens, que teve de deixar o cargo por problemas de saúde. E foi exatamente pelo Hoffenheim que o jovem técnico se destacou, quando assumiu a equipe na penúltima (17ª) posição da Bundesliga, que já estava na 21ª rodada, e conseguiu terminar o campeonato em 15º colocado (o primeiro fora da zona de rebaixamento). Os investidores se animaram com o resultado e, na temporada seguinte (2016/17), enxugaram o elenco: deixaram apenas os principais atletas e agregaram nomes pontuais, como o do atacante Sandro Wagner, que foi vice-artilheiro da equipe na campanha que deu a 4ª posição da Bundesliga ao Hoffenheim. Na temporada 2017/18, Julian Nagelsmann não conseguiu avançar nas Qualificatórias para a Liga dos Campeões e não passou da fase de grupos da Liga Europa, mas terminou na 3ª posição da Bundesliga e garantiu uma vaga direta na fase de grupos da Liga dos Campeões na temporada seguinte. Só que o Hoffenheim sofreu com a cobiça de outros clubes em seus atletas na janela de transferências, caiu de rendimento e, por fim, perdeu Nagelsmann para o RB Leipzig na temporada 2019/20. E foi pela equipe dirigida pela Red Bull que o treinador conseguiu alcançar o seu ápice, pelo menos até aqui, tendo alcançado as semifinais da Liga dos Campeões na sua primeira temporada e o vice-campeonato da Bundesliga na última edição da divisão de elite da Alemanha. Talvez até pela preocupação de perder a hegemonia nacional, que na Bundesliga já dura 9 temporadas, o Bayern de Munique anunciou logo dois gigantes que estruturavam o Leipzig: o técnico, Julian Nagelsmann, e seu zagueiro destaque, de apenas 22 anos, Dayot Upamecano.

Estreia no Bayern de Munique é amarga, mas título e invencibilidade já dão um pouco de tranquilidade para o novo treinador

A estreia de Julian Nagelsmann no Gigante da Baviera passou longe de ser ruim. Sempre apostando em uma estratégia mais ofensiva, o treinador foi a campo com 4 atacantes (Lewandowski, Müller, Gnabry e Sané), mas acabou saindo atrás no placar logo nos primeiros minutos do jogo, em um rápido contra-ataque da boa equipe do Borussia Mönchengladbach, que terminou em gol de Alassane Pléa. O artilheiro de Munique e atual melhor jogador do mundo, Lewandowski, deixou tudo igual para o Bayern ainda no primeiro tempo, mas, apesar de toda a pressão feita na etapa complementar, não passou disso. O empate na estreia da Bundesliga não era bem o que os torcedores estavam esperando e preocupou, mas a vitória por 3 a 1 sobre o Borussia Dortmund em pleno Signal Iduna Park na partida seguinte, válida pela decisão do título da Supercopa da Alemanha, com 2 gols de Lewandowski e 1 de Müller (e Haaland passando em branco), foi o suficiente para acalmar os ânimos dos bávaros. Na terceira e última partida oficial feita pelo Bayern de Munique nesta temporada, pela 2ª rodada da Bundesliga, um apagão dos comandados de Nagelsmann quase estragou a chance de uma vitória tranquila sobre o Colônia. Depois de um primeiro tempo sem graça, o Bayern voltou para o segundo com mudanças nos jogadores e na postura, e não demorou para abrir 2 a 0 de vantagem. Só que, menos de 5 minutos depois de sofrer o 2º gol, o Colônia conseguiu deixar tudo igual no placar. A sorte do time da capital da Alemanha foi que Gnabry, em dia inspirado, fez o 2º dele na reta final e garantiu a vitória por 3 a 2, que já colocou o Bayern na 4ª posição da tabela.

Próximos compromissos:

Nesta quarta-feira (25), às 15:15 (no horário de Brasília), o Bayern de Munique enfrenta Bremer SV (uma equipe que disputa apenas um torneio regional da Alemanha, chamado Oberliga) pela 1ª fase eliminatória da Copa da Inglaterra. A partida, que vai contar com a transmissão da Fox Sports na TV fechada, deve servir mais para que Julian Nagelsmann teste algumas estratégias e jogadores, como o meia-atacante Jamal Musiala, de apenas 18 anos, que vem buscando um espaço no time principal desde a última temporada, do que para que o novo técnico prove alguma coisa, tendo em vista que a classificação do Gigante da Baviera é iminente. Além disso, o Bayern enfrenta o Hertha Berlim já no próximo sábado (28), na Allianz Arena, pela 3ª rodada da Bundesliga. Vale destacar, por fim, o confronto da 4ª rodada da Bundesliga, que está marcado para o dia 11 do próximo mês, entre RB Leipzig e Bayern de Munique, na Red Bull Arena. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *